A orientação (em sueco: orientering) começou na Suécia por volta de 1918.

Conta-se que um corredor de fundo, matemático, considerando que o tempo gasto a praticar a atividade era um tempo perdido para a mente, resolveu começar a solucionar problemas de matemática enquanto corria. Talvez, este corredor, tenha sido a génese das corridas de orientação.

A necessidade de ocupar a mente enquanto se realizam atividades físicas talvez tenha sido responsável pela grande aceitação deste desporto, que alia a atividade física a uma atividade mental intensa.

O sueco, Major Killander foi considerado o “pai da orientação”. Em 1918, observando a queda dos concorrentes a corridas através do campo, decidiu usar a natureza para motivar a participação nessas competições.

Em 1922, realizou-se o primeiro campeonato distrital na Suécia e em 1937, o primeiro campeonato nacional desse mesmo País.

Os governantes suecos apercebendo-se da utilidade deste desporto, oficializaram para que esta actividade fosse introduzida nos currículos escolares em 1942. Ainda hoje, a orientação é um dos desportos mais praticados na Suécia e nos restantes países nórdicos.

Em 1961, foi fundada a Federação Internacional de Orientação durante um encontro em Copenhagen.

No ano seguinte, foi realizado o primeiro Campeonato Europeu de Orientação que foi vencido pelo atleta norueguês Magne Lysfad e na parte feminina, pela atleta sueca, Ulla Lindkvist.

Em 1965, o Conselho Internacional do Desporto Militar (em francês: Conseil international du sport militaire — CISM) organizou o primeiro Campeonato de Orientação Militar.